jump to navigation

Reserva Cultural dezembro 3, 2008

Posted by Renata do Amaral in Bela Vista.
Tags: ,
1 comment so far

reserva

O restaurante do cinema Reserva Cultural tem um visual bem interessante: fica abaixo do nível da rua e dá para ficar observando o corre-corre da Avenida Paulista (que nem um dos meus japoneses favoritos do Recife, o Soho). Ao lado dele fica a boulangerie Pain de France, um café simpático, porém caro de doer.

Como falei no Sobre, minha idéia aqui não é fazer crítica gastronômica nem avaliar o local, mas contar sobre minhas experiências. Digo isso porque sentei no restaurante, mas pedi opções do café – o que rendeu cara feia do garçom, apesar de a minha amiga Natália ter se esbaldado em sashimis e quiches. E não dá para avaliar de fato um local comendo só isso, né?

Pior que isso foi o decepcionante pain de chocolate (sic) (R$ 4). Tenho uma queda por massas boas de verdade e não foi bem isso que encontrei: a massa estava grudente e o chocolate era escasso – o pobre foi todinho para a lateral do pão e o meio ficou seco, seco! Um ponto interessante foi servirem chá com leite (R$ 3), algo meio raro de se encontrar fora da terra da rainha.

Endereço: Avenida Paulista, 900, Bela Vista

[ Foto: Divulgação ]

Almanara novembro 25, 2008

Posted by Renata do Amaral in Bela Vista.
Tags:
1 comment so far

misk

Há uma categoria interessante de locais para comer nos shoppings: aqueles que não são fast-food, mas não chegam a receber o mesmo tratamento dos restaurantes convencionais. Fiquei pensando nesse nova teoria – vou ter que comer mais um bocado para comprovar! – hoje no Almanara do Shopping Pátio Paulista.

São detalhes, mas que contam: os talheres são pesados, mas o garçom não chega a arrumá-los e prefere deixar tudo em cima do prato, como num botequim. E, sim, isso é superaceitável… Num botequim. Depois, a sobremesa vem num pote de plástico com um prato comum embaixo fazendo as vezes de sousplat. Na boa: potinho de plástico e talher pesado não combinam, certo?

A casa é tradicional, existe desde 1950 e conta com várias filiais pela cidade. Não pude deixar de imaginar em como as coisas funcionam na matriz do Centro. Não que o atendimento tenha sido desatento ou desatencioso, mas dá uma sensação de que algo está faltando.

Por outro lado, tudo que pedi estava ótimo: esfirra aberta com carne (R$ 2,95), esfirra de verdura com recheio de espinafre e escarola (R$ 2,85) e quibe frito com carne moída e castanha (R$ 3,95). O destaque, para variar, vai para a sobremesa, malabie, manjar aromatizado com misk, um tipo de resina vegetal retirada dessa planta acima (não confundir com musk ou almíscar!), e coberto com calda de damasco (R$ 7,90). Bem perfumado e com a calda doce contrastando com a leveza do manjar. Para quem quiser tentar em casa, essa receita aqui do Panelinha, direto do restaurante Arábia, parece boa.

Endereço: Avenida Treze de Maio, 1947, Bela Vista

[ Foto: Botanical ]

Barão da Itararé setembro 14, 2008

Posted by Renata do Amaral in Bela Vista.
Tags:
add a comment

O bar homenageia o jornalista e humorista conhecido por frases hilárias como “Tem políticos cuja vida pública é a continuação da privada” e “Devo tanto que seu chamar alguém de ‘meu bem’ o banco toma”. Eu só conhecia o nome por meio daquela revista simpática que a gente encontra nos aviões da TAM, Almanaque Brasil. Também vale a pena entrar no site do bar, dar umas boas risadas e entender o espírito da coisa.

Pedi um belo sanduíche de carne louca (R$ 16,30), bem gostoso e temperadinho, mas que não chega aos pés da versão da minha mãe, que agora tem a obrigação moral de colocar a receita nos comentários! O charme da noite ficou por conta de um grupo de jazz que tocou por lá. Muito Chat Baker e Cole Porter, apesar de não parecer à primeira vista, ajudam a fazer uma garota feliz.

Endereço: Rua Peixoto Gomide, 155, Bela Vista