jump to navigation

Aska Lamen setembro 30, 2009

Posted by Renata do Amaral in Liberdade.
Tags:
7 comments

aska

comentei por aqui que eu queria muito conhecer o Aska, mas a vontade triplicou quando li o post do Que bicho me mordeu sobre a casa. As curiosas regras do local (nada de passar horas conversando se houver fila na porta!) mereceram tanta atenção quanto a comida, mas foi nela que pensei quando quase perdi meu vôo de volta para provar o famoso lamen de lá.

Como o blog havia advertido, tinha fila sim, de umas dez pessoas, mas andou rapidinho. Segui a dica de ficar no balcão para reparar na linha de produção da casa. Dá gosto de ver, com o perdão do trocadilho! A cozinha é grande, parece até maior que o salão, mas o pessoal trabalha harmonicamente, cada um fazendo sua parte.

Começamos, eu e o querido e quase-sumido James, com a porção de seis guiozás (R$ 8) com legumes. A massa é superfina e o recheio, bem temperadinho, excelente! A única bronca foi que chegou depois do lamen e ficamos comendo paralelamente. Achei que não ia agüentar tanta comida, mas isso nunca aconteceu antes na História desse país, né?

Fui no lamen com carne (R$ 13) e já achei bonito eles chamarem genericamente “carne” para “carne de porco”, provavelmente minha preferida. E essa estava uma beleza, com a camada de gordura dissolvendo na boca de tão macia, um pecado! Pena que só vem uma fatia fininha. Por mim, poderia vir com umas dez!

O caldo era de missô e vinha ainda com ovo de gema cremosa, nori (alga) e verdurinhas, além, claro, de um bocado de macarrão. Vale por uma refeição completa. E terminou que fomos bem tratados! O atendimento é meio agoniado, mas não chega a ser mal educado. Só não se espante se colocarem você para compartilhar mesa, se a fila estiver grande demais…

Endereço: Rua Galvao Bueno, 466, Liberdade

[ Foto: Que bicho me mordeu ]

Anúncios

Gombe dezembro 9, 2008

Posted by Renata do Amaral in Liberdade.
Tags:
add a comment

gombeA idéia inicial era ir ao Aska Lamen, por sugestão direta de Vanessa e indireta de Neide Rigo, cujo blog adoro. Só que Chico tinha combinado com uns amigos de ir ao Gombe, então eu e Bruna fomos junto.

O forte do local são as robatas, mas como eu estava com desejo de lamen, pedi um com peixe prensado, espinafre, ovo e porco (R$ 14). Muito bom. O resto do povo foi no teishoku, uma refeição completa com vários itens do cardápio.

Endereço: Rua Tomás Gonzaga, 22, Liberdade

[ Foto: Seu Restaurante ]

Airin novembro 26, 2008

Posted by Renata do Amaral in Perdizes.
Tags:
8 comments

sushi

Não sei se há explicação científica para o fenômeno, mas sushi é a única comida com a qual – ou melhor, sem a qual – eu fico tendo crises de abstinência. Até tinha ido algumas vezes a uns japoneses de shopping (aaaaaargh!) com Nati, mas o estômago dela é inversamente proporcional ao meu, ou seja, ela ficava feliz e eu achava que só tinha comido a entradinha, bah!

Finalmente tomei vergonha e fui a um rodízio aqui, com ela, Cathy, Chico e Bruna. O festival (R$ 26,90 de segunda a quinta e R$ 28,90 de sexta a domingo) inclui guioza, harumaki, sushi, sashimi, shimeji (muito gostoso) e até sorvete de sobremesa. Comi algumas toneladas de salmão bom e fresquinho e achei que ia ficar sem querer ver por um bom tempo, mas já estou com água na boca só de ver essa foto, ô vício cruel! :D

Endereço: Rua Doutor Homem de Mello, 406, Perdizes

[ Foto meramente ilustrativa ]

Liberdade setembro 14, 2008

Posted by Renata do Amaral in Liberdade.
Tags: , ,
3 comments

O bairro da Liberdade concentra vários restaurantes japoneses, mas preferi ficar na feira da rua na minha primeira visita. Acontece aos domingos e é muito, muito, muito lotada, mas também divertida.

Na primeira barraquinha, pedi um harumaki (R$ 2,50), o mais que tradicional rolinho primavera. A diferença aqui fica por conta do molho de rabanete. Depois, em outra barraca, fui de bifum com frango xadrez. Nada muito fora do comum, só me chamou a atenção o fato de ter salsão, nunca tinha visto. O grande (R$ 10) dá para duas pessoas e o pequeno (R$ 8), bem, acho que pouca gente pede!

A sobremesa foi na Bakery Itiriki (sic), uma padaria levemente japonesa, mas com um monte de opções bem nacionais de tortas e doces. Escolhi um manju de nozes, com feijão, trigo e açúcar (R$ 3,50), bem denso e pouco doce, como costumam ser as sobremesas orientais. Por “denso”, leia-se “bate-entope”! Não estava ruim nem bom, ou seja, nada que justifique a cara de espanto que muita gente faz ao pensar em feijão e doce na mesma frase. O atendimento deixa a desejar e a fila estava enorme.

Endereço da feira: saída do metrô da Liberdade
Endereço da Bakery Itiriki: Rua dos Estudantes, 24, Liberdade

[ Foto: Brocco Lee (hahaha!) ]