jump to navigation

Castelões dezembro 12, 2008

Posted by Renata do Amaral in Brás.
Tags:
5 comments

casteloes

A despedida do meu curso foi nessa pizzaria supertradicional, fundada em 1929. O lugar é muito legal, mas a pizza estava longe de figurar entre as melhores que já provei. A borda alta terminou ficando meio crua e não achei a massa tão gostosa. Acho engraçado porque em São Paulo há pizzas sem queijo, como a de calabresa, só com lingüiça e cebola picadas por cima.

Para completar, o garçom não entendia nada do que a gente falava. Era algo do tipo ele ouvir “pizza napolitana” quando a gente pedia “suco de uva”! O pior foram as baratas que encontramos no caminho do banheiro, que fica fora da casa. Eca! Será que devo abrir uma tag para elas, depois daqui e do trauma do Empanadas? Ah, o pudim de leite da sobremesa estava ótimo.

Endereço: Rua Jairo Góis, 126, Brás

[ Foto: Seu Restaurante ]

Anúncios

Quintal do Bráz outubro 8, 2008

Posted by Renata do Amaral in Vila Mariana.
Tags:
add a comment

braz

Conhecia a pizzaria Bráz no papel, pois minha mãe deu para Eduardo um livro sobre ela anos atrás. A outra referência que tinha era que ela já foi escolhida a melhor pizza de São Paulo mil vezes pela Vejinha – não que isso importe muito, como sempre lembra Marcio Alemão, mas…

Fomos à irmã mais nova dela, o Quintal do Bráz, e ela realmente era tudo isso, sim. Começamos com uma entrada ótima, o pão de calabresa Tradição Bráz, uma fatia de pão artesanal feito com massa de pizza e lingüiça calabresa da casa. Aliás, tem algum valor a regrinha de sempre procurar provar o prato com o nome da casa – geralmente isso não é em vão!

Para acompanhar, Brahma Black. Não sou fã de chope – muito menos escuro, pois costuma ser muito doce – mas recomendo esse com todas as minhas forças. A espuma é tão cremosa que parece de café. Uma coisa linda!

A pizza grande pode vir dividida em três sabores. Há também o tamanho médio, mas acho que ninguém pede, pois a diferença de preço é ínfima (uma pizza grande de R$ 45 fica por uns R$ 40 na versão média). Pobre de quem vai comer lá sozinho!

Pedimos uma mistura de Bráz (com abobrinha refogada em alho e azeite de oliva, salpicada de muçarela – isso mesmo, muçarela, sem “sic” – e gratinada com parmesão ralado), Ricota Rústica (muçarela especial, ricota defumada apimentada e lingüiça artesanal moída) e Castelões (muçarela recoberta por calabresa artesanal fatiada). Todas ótimas, com massa fininha, mas sem ser mais crocante do que deveria.

Para fechar, porque é para isso que serve o segundo estômago destinado às sobremesas, brigadeiro na colher. O brigadeiro era um brigadeiro como todos os outros (e maravilhoso como só um brigadeiro pode ser), mas a colher era “a” colher. Tão gigante que acho que deveria ter meia lata de leite condensado ali. E não sobrou nada nela.

Endereço: Rua Gandavo, 447, Vila Mariana

[ Foto: Divulgação ]

O pedaço da pizza setembro 12, 2008

Posted by Renata do Amaral in Jardim Paulista.
Tags:
add a comment

O pedaço da pizzaEssa não é exatamente uma pizzaria convencional. Esqueça forno a lenha e garçom: a idéia aqui é entrar na fila, esperar o cozinheiro esquentar a fatia exposta na vitrine e comer com a mão. Para completar o clima de informalidade total, há mesas comunitárias.

Não é bem o lugar para o qual você levaria seu namorado, mas quebra um bom galho e, acredite, a pizza é boa. Não chega a ser ótima, mas é boa. Pedi escarola com aliche como pièce de resistance e chocolate com banana de sobremesa. Gastei menos de R$ 10.

Endereço: Rua Augusta, 2931, Jardim Paulista

[ Foto: Seu Restaurante ]